Heavy Pero No Mucho, a nova empreitada de Thiago DJ na 89 FM.

Thiago DJ fala sobre seu novo programa na 89 FM.

Essa semana aqui na Crasso nós aproveitamos pra bater um papo com nosso querido amigo Thiago DJ. Figura carimbada da 89 FM, a Rádio Rock, Thiago é a presença marcante de programas da rádio como Ramona, Hora dos Perdidos, e Rock N Roll Party. Lançando seu novo programa na rádio, o Heavy Pero No Mucho, Thiago conversou um pouco com a gente sobre o programa, como começou a trabalhar na rádio, e seus gostos musicais. Confira toda a entrevista abaixo.

::

Qual foi seu primeiro contato com a música?

THIAGO DJ: Que eu me lembre, foi com meu pais. Minha mãe gostava de Raul Seixas, meu pai de Beatles, e os dois amavam Jovem Guarda, e eu ouvi muito tudo isso. Depois meus tios e meu irmão mais velho, que tinham uma turma na Vila Piauí chamada Jacaranjos e ouviam rock brasileiro pra caramba (Legião, Titãs, Engenheiros, etc), mas principalmente meu tio Dario que me deixava fuçar em sua coleção de discos de vinil e fitas cassete. Foi ali que eu conheci os Garotos Podres, mudou minha vida.

O que te motivou a trabalhar com música (ou aconteceu por acidente)?

TDJ: Eu sou, e sempre fui fanático por música, fazia o que fosse preciso pra ligar um receiver e ter um som rolando, revirava aquele monte de fio, ligava o vídeo cassete no aparelho de som pra tirar o áudio dos vídeos, propagandas e ficar ouvindo depois. Gravava fitas de rádios tarde da noite, com as músicas que eu curtia e já fazia mixtapes muito antes de ser DJ, tudo a mão mesmo, voltava o cassete pra deixar uma música coladinha na outra. É paixão mesmo!

E como foi que você foi parar na 89?

TDJ: Eu já estudava Rádio e TV, e era professor de informática. Ganhava uma grana boa, mas abandonei tudo porque eu queria trabalhar em rádio, e como tinha uns amigos que já trabalhavam na 89, eles me indicaram e eu comecei a estagiar, atendendo telefone. Mas como eu sempre tava nos shows, era colecionador de música e tudo mais, me chamaram pra fazer A Vez do Brasil, programa de bandas independentes, e pouco tempo depois comecei a apresentar o programa. Aí num belo dia a Luka (a melhor pessoa desse mundo) disse pro diretor da rádio, que tinha dado espaço pra ela vir com um programa novo, que ela queria que eu fizesse um programa com ela. Daí veio a Hora dos Perdidos, o Bate-Cabeça, e o Rock N Roll Party.

E qual desses programas mais te marcou?

TDJ: Difícil, porque é tipo escolher filho favorito. Eu gostei de todos, mas no exato momento eu estou numa relação extremamente gostosa com o Heavy Pero No Mucho.

Então aproveita e fala pra gente um pouco sobre como foi a idealização do Heavy Pero No Mucho. Qual a proposta/diferencial do programa?

TDJ: O diretor da rádio, o grande mestre Junior Camargo, me viu fazendo o Rock N Roll Party pelo live do Facebook da rádio aos sábados, e ele curtiu a ideia e propôs um novo programa diário. Eu já tinha um canal no Youtube chamado Heavy Pero No Mucho, que falava de saúde (mudei de vida e emagreci muito nos últimos anos), aí minha namorada Raquel falou pra eu aproveitar esse nome. Montei uma programação com Punk, Hardcore, Ska, Grunge, Nu Metal, Surf Music, Garage Rock, Emocore, misturando tudo isso com as músicas da programação da rádio que já vão nessa onda. Além de tudo isso, praticamente todo dia rola entrevista (às vezes duas ou mais), Newstícias (nome doido que eu inventei quando tava no Ramona) sobre saúde, música, cinema e séries. E tem a parada que o público mais gosta e mais se envolve, que é o live do Facebook, que continua mostra tudo o que tá rolando no programa mesmo quando eu solto os sons do programa, como se eles estivessem ali no estúdio.

Quais são suas bandas favoritas, ou que mais escuta no momento?

TDJ: As minhas favoritas são Sick Of It All, Ramones, Suicidal Tendencies, The Specials, The Clash, Rancid, Cypress Hill, Beastie Boys, Nirvana, Ratos de Porão, Planet Hemp… na verdade tem muitas. Mas das que nesse momento eu tenho escutando muito tem Chuva Negra, Violent Soho, Hateen, Não Há Mais Volta, Descendents, Down By Law, Racionais MCs, Sublime, Rodolfo Abrantes (o Rodolfinho ex-Raimundos).

Você trabalha na “Rádio Rock”, mas tem algum estilo musical que você gosta que quase ninguém imaginaria?

TDJ: Todos! (Risos) Mas quem me ouve já sabe disso, porque não costumo esconder. Gosto de pra caramba de Jungle, Reggae, música brasileira, Afrobeat, Digital Hardcore, Miami Bass, e tô sempre caçando coisas novas pra ouvir. Até umas que eu tinha preconceito, tipo Country Music, que eu falava que era som de “côboy”… Abrindo a mente sempre!

Você também montou uma playlist impecável pra Crasso no Spotify. Pra você o que é essencial para que uma música se torne especial?

TDJ: Eu tava falando sobre isso com um amigo hoje. Peguei um CD de uma banda, e eu tinha ouvido a música ao vivo sábado, e assim que rolou no CD, eu pensei “Já ouvi isso”. Acho que a música tem que te dar aquela sensação de que você já está escutando ela há muito tempo, e também te dar a vontade de ouvir de novo por muitas vezes. Quanto à playlist, eu amo fazer sets, e mixtapes. Faço playlists regulares pra minha namorada, pra amigos, pra espera de shows. Então na verdade foi um prazer. Ainda mais que acompanho a Crasso há um bom tempo, e acho que nossa sintonia de ecletismo é a mesma.

Se pudesse escolher qualquer época na história, qual banda escolheria para ir num show?

TDJ: Acho que já vi quase todas as bandas que eu queria ter visto, inclusive as novas. Só esse ano pude ver Basement, Death Grips e Violent Soho em Chicago. Mas claro que sempre vão surgir mais, e eu estarei ali na febre pra colar no show. O Rage Against The Machine acabou sendo uma frustração, porque eu vi no SWU, mas como o P.A. do lugar que eu estava caiu, parecia que eu estava ouvindo eles num aparelho de som de baixo volume, ficou sem pressão, e eles sem pressão, não vira. Mas se eu tivesse um DeLorean com um capacitador de fluxo, eu voltaria pra ver The Clash, sem dúvidas. Que banda!
::

 

Para ouvir a playlist que o Thiago montou no Spotify da Crasso é só dar o play no link abaixo !

2 comentários em “Heavy Pero No Mucho, a nova empreitada de Thiago DJ na 89 FM.

  • 30 de novembro de 2016 a 18:20
    Permalink

    Excelente entrevista. Não por ser meu filho mais o garoto e inteligente, batalhador, guerreiro, conhecedor e estúdio do assunto em pauta!!!
    Tenho certeza ele vai longe.

    Responder
  • 30 de novembro de 2016 a 19:22
    Permalink

    trabalho de nadrugada e ja ouvia a 89 mais o programa era gravado , com o programa do thiago tudo mudou , e hoje sem duvida nenhuma para mim e o melhor programa da radio

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *