LETTS GO #02 – Oi! To The World (Especial de Natal)

LETTS GO #02 – Oi To The World

O Natal é uma data de confraternização e alegria! União dos povos! E é comemorado em diversas culturas e de formas muito diferentes.

Até os punks comemoram o Natal! Sim! Pelo menos os mais acadêmicos… Em 2013, foi lançado o (no mínimo inusitado) EP “Christmas Songs” pela banda Bad Religion. O vocalista Greg Graffin, formado em Antropologia, mestre em Geologia pela UCLA (University of California, Los Angeles) e PhD em Zoologia, explicou para a Rolling Stone que as características principais da sonoridade da banda, arranjos de vozes e harmonias tinham muito a ver com as de um coral de Natal.

Além disso, Greg conta que, como as outras crianças de sua infância, o Natal era a melhor parte do ano. Disse também que a banda nunca teve como objetivo a critica às pessoas religiosas e sim, que o que sempre quiseram expor eram as contradições da sociedade moderna e a secularização do Cristianismo.

Assim como o Bad Religion, e também da Califórnia, a banda The Vandals lançou um álbum especial de Natal em 1996, pela Kung Fu Records,  “Oi To The World”. Durante a gravação deste disco, o então baterista Josh Freese (que tem um currículo pessoal com bandas que vão de Guns n’ Roses, a Weezer, a Devo e a Sublime With Rome) não pode participar tanto das gravações, dando lugar a participações como:  Brooks Wackerman (Infectious Grooves e Suicidal Tendencies), Erik Sandin (NOFX) e Rat Scabies (The Damned).

A faixa título do disco “Oi To The World” ganhou uma versão da banda No Doubt que foi produzida pelo próprio guitarrista do Vandas, Warren Fitzgerald.

Muito se fala, mas “pouco” se sabe sobre a cultura Rastafari. Ao contrário do que se pensa, os Rastafari também comemoram o Natal. Mas em outra data e de uma maneira diferente. A comemoração do Natal Rasta é baseada nas tradições e na bíblia da Igreja Ortodóxa Etíope (uma das mais antigas Igrejas do mundo).

Este dia é chamado de Lidät (também escrito Ledet ou Lidet). Lidät é uma palavra de origem da língua Amárica que significa “dia do nascimento”.  A data é comemorada no dia 7 de janeiro, data em que os 3 Reis chegaram em Belém para prestar suas homenagens ao nascimento de Cristo. A tradição conta também que Baltazar, um dos 3 reis, era de origem etíope e é caracterizado como um homem negro até mesmo no ocidente.

Assim como no Brasil, que muitas tradições de Natal foram herdadas de Portugal, na Jamaica, apesar da proêminencia da cultura Rastafari, muitas tradições foram herdadas da Inglaterra.

Junto com as decorações, árvores, presentes e Papai Noel, na Jamaica, a maioria das estações de rádio tocam músicas natalinas durante todo o período do Natal… REGGAE VERSION, é claro!

Como não poderia faltar, a Jamaica também tem suas comidas típicas da época. Uma delas é o alcoolico “Bolo Preto de Rum” (Black Christmas Cake, Black Rum Cake) que você pode conferir a receita no fim deste texto.

E falando em bolo…  No dia 25 de dezembro de 1997, em Huddersfield (norte da Inglaterra) foi comemorado um Natal também muito especial.

Em apoio à greve do Sindicato dos Bombeiros, uma banda (silenciosamente) organizou 2 shows beneficentes no Ivanhoe’s Club. Onde o primeiro show, foi uma matinê para as crianças com distribuição de bolo, presentes e até uma guerra de comida. A banda ainda teve a preocupação de omitir os palavrões de suas músicas por causa das crianças. Essa banda, que salvou o Natal de diversas famílias, e inclusive financiou todo o evento, eram os Sex Pistols! Se isso não é espírito natalino… eu não sei o que é!

Black Rum Cake (Bolo Jamaicano de Rum):

Jamaican Black Cake

Add the dates, figs, 1 cup of the port, 1 cup of the rum, the almonds, brandied cherries with their liquid, currants, candied orange peel, prunes and dark and golden raisins to a food processor. Process this mixture until the dried fruit is broken down into smaller chunks.

 

Siga o nosso perfil no Spotify e ouça a playlist do programa: